quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Como fazer- creepy pasta/lenda urbana

Oi povo, eu vou começar a ensinar para vocês como fazer creepy pastas, '''''''af... é so fazer uma historinha de que dá medo, e pronto''''''' quem bom se fosse só isso não?! Eu vou ensinar a vocês como ter uma ideia, até a finalização dela, entao vamos lá!! Eu vou criar uma historia, e você vão analisando a historia com os passos.



1ª- ter uma ideia: Creepys do jeff, slender, pokemon, bob esponja ja estão reptidas, e nem da medo, serio, então você precisa de algo novo, algo que se as pessoas ovirem falar elas ja fiquem com medo, e que seja moderno, como a internet. Eu ja joguei o jogo corpse party, e achei a ideia de um ritual visto na internet algo extremamente legal, e que realmente atraiu a minha atenção! E também é bom que você coloque algo que todo mundo faz diariamente, como por exemplo, na creepy do havest moon, um carinha comprou um cartucho do havest moon, e jogou, dai tretas began! Algo completamente normal é comprar um cartucho de super nintendo por pura nostagia!

2ª-descrever o cenario: você pode achar que o cenario só da uma ajudinha na história, mas o cenario é tão importante quanto a história. Lembre-se que descrever o cenario escondendo alguns detalhes, e se aprofundando em outros, isso deixa a história com ''ar diferente''.(vou negritar as parte com mais detalhes)

3ª-prepare-se para escrever muito, uma creepy não é tipo: ah... vou escrever só 10 linhas e pronto, se você quiser que a sua creepypasta fique boa, você terá que escrever, por que se não, ela não será boa, não chegará aos pés de ser uma creepy ''legivel''

4ª- roteiro: ter uma história com começo, meio e fim ja mais ou menos programada na sua cabeça, isso dá uma base boa para a sua creepy!

5ª-escrita: ter um português bom é essencial, e evitar colocar ''vc, tmbm, q, oq, nx'', isso faz muita diferença!

6ª-personagens: é muito bom colocar como é a personalidade do seu personagem, como ele se veste, o tipo de cabelo, as relações com o povo do colégio, com a familia, etc...

7ª- eu não aconcelho muito a usar religião não viu, por que já virou coisa reptida, e nem vai ter graça(''''creppy pasta não tem q ter graça, tem q dar medo''''', oh jumento, graça q eu digo é a pessoa começar a ler a sua história, e querer continuar lendo!)!

     -Eu briguei com meu marido, isso era umas 4 da manhã, peguei o meu filho, entrei no carro, e fui para a casa da minha mãe, ela mora em outra cidade, então tive que pegar a BR. Não sei se eu estava com muito sono, ou estava nervosa demais, mas eu juro no meio do caminho eu vi algo passando na minha frente, eu vi aquilo passando. Então eu perdi o controle do carro, e bati em uma arvore, sorte minha que o meu carro tem air bag, por que se não eu teria morrido. Sai do carro, peguei meu telefone pra ligar pra alguem, e estava sem área, falei para o meu filho ficar no carro, e decidi andar uns 2 quilometros a proucura de ajuda, não encontrei nada. Decidi voltar para o carro, e andar mais 2 quilometros do lado oposto para ver se encontrava algo. A BR ficava no meio de uma área preservada, então tinha mato e arvores de quanto era lado, também é bem escura, e não dava pra ver quase nada, mas eu voltei, o meu filho tinha desaparecido do carro, meu deus, eu fiquei desesperada, e comecei a gritar o nome dele:
    -João, João meu filho, João.
    Do fundo ouvi o meu filho gritando o meu nome, ele disse que encontrou algo, um hotel abandonado, eu fui correndo até ele. Chegando la, eu vi, era um hotel, grande, abandonado, mas por causa da lua, dava pra ver ele direitinho, eu fui chegando perto da entrada, e a porta, do nada se abriu, de vagarzinho, segurando o braço do meu filho, e entrei, chegando la, estava muito escuro, não dava pra ver nada mesmo. Mas sabe quando você está no escuro, e dá pra ver alguma coisa, mesmo que não direito, então, eu vi uma moça andando no hall do segundo andar, e parece que ela estava chorando, eu não sei por que, mas ela parou no meio do hall, olhou para mim, e voltou a andar chorando, eu voltei la para a entrada, e meu filho estava la esperando, e cochichei pra ele:
     -João, vamos embora daqui, eu não gost...
     -Mas mamãe...
     -Eu sei que o carro está quebrado, mas vamos andando
     -Mas mãe, nós estamos no meio do mato, não dá!!
     -Mas então o que você quer que eu faço??
     -Vamos para o hotel passar a noite, eu vi o seu celular, ta sem sinal! é o jeito!
     -Filho, você vai ficar comigo! haja o que acontecer, não sai de perto de mim
     Entramos no hotel, e atrás do balcão ficava as chaves dos quartos, peguei o do 102, e percebi que a do 103 não estava lá, mas idai, eu abri o quarto 102, e entrei, tranquei a porta, e deitei na cama com o meu filho, e cochilei por uns 30 minutos, quando eu acordei, o meu filho não estava mais lá, na hora me veio a imagem daquela mulher, levante na hora, e fui até o hall, e ouvi um barulho de água de um dos quartos, fui até la, chegando lá, meu filho estava com um copo na mão, e o quarto, era a cozinha do hotel, meu filho estava coberto pelo cobertor, e disse pra ele não sair de perto de mim, e ele me desobedeceu, estava indo para o quarto, e quando estava passando pelo hall, e percebi que estava mais claro do que quando eu fui dormir, estava indo para o quarto, e vi uma luz vindo do quarto 103, que estava com a porta aberta, disse para o meu filho ficar la parado, que eu iria ver o que era aquilo, estava indo lá, e vi, EU VI A MULHER QUE ESTAVA CHORANDO NO SEGUNDO ANDAR de costas para mim chorando, eu fiquei la imovel pensando se ela era um espirito, um fantasma, ou alguem que estava fazendo uma pegadinha, e ela vira a cabeça e me vê, quando ela vira, ela tinha um buraco na cabeça, como se fosse de tiro, estava cheio de sangue, sem pensar em nada, corri em direção a entrada do hotel, a porta estava meio aberta, e ela com um movimento de mão, fechou a porta, eu corri pro segundo andar, e lembrei que as portas estavam fechadas, as chaves estavam naquela coisa que guarda as chaves, e ela veio, ela estava furiosa, ela pega no meu braço, e eu fecho o olho de medo, e começou a gritar, abro o olho, e vi que eu peguei o cobertor que o meu filho estava, não no braço dele, então eu ouço a porta da entrada abrindo, e ele estava lá, fugindo, ela foi correndo atrás dele. Quando ela chega na rua, um caminhão veio e a atropelou, o caminhão depois de uns 10 metros parou com a freada, e eu fui correndo la, parece que eu não cochilei por 30 minutos, parece que foi por 2 hrs, ja estava amanhecendo. Fui até o caminhão, e disse pro motorista que eu bati o meu carro e se ele poderia me levar até uma cidade que tenha rede pra fazer uma ligação. Cheguei em Osasco, na cidade onde a minha mãe mora, peguei um onibus, e com o pouco dinheiro que sobrou da minha carteira, fui até a casa da minha mãe, isso ja era umas 8 horas, lá eu contei pra ela o que aconteceu, mas ela não acreditou, disse que eu estava estressada, precisa relaxar com um banho.
      Depois de um tempo, eu liguei o computador, e pesquisei sobre aquela BR que eu peguei, entrei em um blog de um jornal de 1980, e la tinha um artigo de uma chacina que aconteceu naquela BR, mais precisamente no ''hotel central'', e se eu me lembro, o nome do hotel com o tal fantasma se chamava mesmo "hotel central", mas enfim, continuei a ler, la dizia que um homem chegou no hotel procurando por sua esposa, com uma mala, ninguem soube dar informação, então ele tirou dois revolvers e começou a atirar em todos, e o quarto 103 estava trancado, então ele atirou na fechadura da porta, e lá estava a sua esposa com o seu filho, ele mirou na cabeça de sua esposa, e atirou, pegou o filho dele, e saiu. depois que a pericia esteve no local, o hotel ficou abandonado, e dizem que o espirito da mulher que o seu marido a matou vive lá até hoje, mas nada é comprovado. Eu fiquei com medo de voltar naquele lugar, e encontrar a mulher, mas ja se passou 2 anos, e eu nem lembro mais dessa história!


Então é isso, flw o/
~peo

5 comentários:

  1. Nossa complexo isso mais faz sentido um pouco eu acho!

    ResponderExcluir
  2. e o filho dela Peo?
    o que aconteceu com o filho dela?
    ele morri?
    pois ela não pega o filho dela antes de entrar no caminhão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. segundo relatos, o filho dela está bem! hehe, nem lembro mais, mas eu acho q a mãe e o filho saem vivos!

      Excluir
  3. Pedro, quer um conselho? Independente da resposta ser um sim ou não, eu vou dar. rs Enfim... Não sou nenhuma profissional no assunto, mas leio muitas creepypastas e lendas urbanas, e também me arrisco a escrever minhas próprias histórias de terror de vez em quando. Sua ideia até foi interessante: Hotel abandonado, beira de estrada... Mas, faltou um pouco de suspense aí. As coisas iam acontecendo sem pausa, e você se perdeu um pouco na história. A leitura se torna confusa em boa parte das cenas, e o leitor não consegue saber ao certo o que está acontecendo, pois você começa narrando uma cena, e depois já pula para outra sem uma explicação razoável. E quanto a personagem, ela foi um pouco tola demais ao se hospedar em um hotel abandonado, depois de avistar o que parecia ser um fantasma vagando por lá, não concorda? Tem que ter um pouco de coerência, e fazer algum sentido. E esconder um pouco as aparições no início da história, até que os personagens já estejam fixados no local, é muito importante. Faça isso sutilmente. Deixe que as coisas se mostrem aos poucos no decorrer da história. Você precisa despertar a curiosidade do leitor, e ser um pouco mais claro quando descreve o local, aspectos dos personagens e as cenas. O seu enredo, até poderia ser envolvente, mas no decorrer da creepy ele acabou acabou se perdendo. E lembre-se: Um final surpreendente, é sempre o que todos esperam. Você não precisa escrever algo totalmente descabido, mas precisa ser algo que no mínimo seja inesperado. Um exemplo: Na hora que ela puxa o braço do filho, que estava coberto com um cobertor, depois de perceber que ela havia puxado só o cobertor, você poderia dar a entender no final, que ela leva para a casa no lugar do filho dela, o filho da moça morta. Sei que na sua história o pai matou apenas a mãe, mas seria um pouco mais interessante, se ele tivesse matado o garoto também. Porque assim existiria algo a mais na história entende?! Essa é a ideia. Saber desenvolver um climax. Deixe as pessoas com dúvidas do começo ao fim... Coloque mistérios, e instigue a curiosidade do leitor. Mexa com a imaginação, e faça com que as pessoas temam pela vida dos personagens, e se coloquem no lugar deles. Essa é a ideia base de uma boa história de terror. E tome cuidado com a gramática. Assim como você disse nas dicas acima. Uma boa escrita, estimula o leitor, a querer ir até o fim da leitura. E não se perca com detalhes importantes, como na hora em que ela leva o filho e percebe que pegou o cobertor. De repente, ela já vê o filho na porta sendo perseguido pela mulher, só que a mesma mulher, estava a perseguindo poucos segundos antes. Isso gerou um pouco de confusão também. rs E ficou uma lacuna aí: Ela saiu com o filho ou sem ele? Faltaram alguns sustos, um pouco mais de suspense, um final melhor elaborado... Enfim. São apenas dicas, que acho que você pode absorver de forma positiva, se souber interpretar. E espero que não fiquei chateado. Sou uma amante de creepy pastas, e apoio novos escritores. Se é o que gosta de fazer, vai fundo. Só lembra do que eu falei, e logo você vai fazer uma ótima creepy. Fica a dica. Beijinhos e boa sorte. :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. moça, VC ESCREVEU UM FUCKING LIVRO, mas eu li tudo, e concordo 100% com vc, a minha gramática é meio bosta, mas eu to mudando ela, e sobre o enredo eu meio q empolgo demais, e fode tudo. Eu sou uma fabrica de ideias, mas não sei desenvolver elas do jeito q eu gostaria, e por isso a história fica meio bosta, mas obr pelo comentario, vou ate salvar ele p usar ele mais vezes!

      ~peo

      Excluir